13/10/2013

Cabo-verdianos celebram Dia da Cultura e das Comunidades no Luxemburgo


O Dia da Cultura e das Comunidades de Cabo Verde (18 de Outubro) vai ser assinalado no próximo domingo, dia 20, na cidade do Luxemburgo com uma tarde cultural, a partir das 14h, na sede da associação Amizade Cabo-verdiana, (19, rue Michel Welter).

O programa tem início às 14h com a projecção de um vídeo sobre as ilhas de Cabo Verde. Às 15h, e já com a presença da encarregada de Negócios da Embaixada de Cabo Verde, Clara Delgado, tem lugar uma homenagem simbólica a três artistas cabo-verdianos residentes no Luxemburgo: os músicos Zé Delgado e Ney Évora, e o artista plástico Nelson Neves.

Segue-se o momento esperado da tarde com a presença da escritora cabo-verdiana Glória Monteiro, que vai apresentar o seu livro de poesias “Poesia das Lágrimas”.

Glória Monteiro, residente na Holanda, vai apresentar o seu recente trabalho “Poesia das lágrimas”, da chancela da Chiado Editora. Um livro que conta, através da poesia, as amarguras, os desabafos e as alegrias de uma jovem menina longe de casa e dos seus.

"Poesia das lágrimas" é o primeiro livro da escritora, de 28 anos, e já foi apresentado na Casa da Cultura, na Holanda, e na livraria "Les enfants terribles", em Lisboa.
O programa cultural está previsto terminar com uma participação musical de Humberto da Graça e amigos, seguido por um convívio.

O evento é organizado por um grupo de cabo-verdianos e conta com a parceria da associação Amizade Cabo-verdiana, Epicerie Creole, café brasserie Metissage e restaurante Ociani.

Fonte: Wort.lu/Aleida Vieira

02/10/2013

Grupo cabo-verdiano apresenta primeira mixtape de originais (vídeo)

"Cocktail Vol.1" está disponível para download no Soundcloud e Youtube,
a 10 de Outubro
                                                                    Fotos: M. Dias
Chama-se "Cocktail Vol. 1" e é a primeira mixtape de originais do novo grupo musical cabo-verdiano no Luxemburgo, "J&mc". Tal como o nome indica, "Cocktail Vol. 1" é uma mistura dos vários estilos: hip-hop , tarracha , kizomba e zouk . Ao todo são 12 faixas de originais, incluindo "Méché bo polba", criados por Samy Sam, um dos integrantes do grupo, nascido em Portugal e filho de cabo-verdianos.


Jayo (dta.) e Samy Sam (esq.) já preparam "Cocktail Vol.2"

"Coktail Vol. 1 vai estar disponível para download no Soundcloud e Youtube no dia 10 de Outubro", acrescenta o criativo de 20 anos, Samy Sam, residente no Luxemburgo há nove anos. Outra boa notícia para os fãs do grupo é o lançamento do vídeo "Taf sur la sisha", que já está online (ver abaixo).

Jayo é o rapper do grupo
Quanto à formação do grupo, começou há três anos, conta o rapper dos "J&mc", Jayo.
"O primeiro contacto foi há três anos quando estávamos na escola. Ele [Samy Sam] estava a fazer música e eu também já tinha começado. Estávamos no início, ele no hip-hop e eu no piano, mas foi aí que começámos a falar e demos o nome ao grupo", conta o rapper de 21 anos, nascido no Luxemburgo e filho de pais de S. Antão, em Cabo Verde.

Mas o grupo conta ainda com mais elementos. Dj Cabo Boy e Dj Pingusso também fazem parte dos "J&mc", Krees e Bruno são os responsáveis pelos vídeos e Destiny Tavares é a manager.

Samy Sam, o criador dos beats




"Cocktail Vol. 1" contou também com as participações de Bossmen, Eliane, Schaicho e Black (Paris). Quanto ao próximo desafio dos "J&mc", chama-se "Coctail Vol. 2" e já começou a ser preparado.

HB








28/09/2013

Cooperação entre Luxemburgo e Cabo Verde "é uma grande história de amor", diz Juncker

À saída do encontro, que durou uma hora, o PR recebeu garantias de que
o arquipélago vai continuar a ser um dos países prioritários da cooperação
luxemburguesa                                                                          Fotos: M. Dias
Cabo Verde vai continuar a ser um dos países prioritários da cooperação luxemburguesa, garantiu Juncker durante a visita ao Luxemburgo do Presidente da República do arquipélago, Jorge Carlos Fonseca. Uma cooperação que o primeiro-ministro luxemburguês considera "uma grande história de amor", disse Juncker a Jorge Carlos Fonseca, durante o encontro que teve com o Presidente da República de Cabo Verde, esta sexta-feira.

O encontro durou uma hora e focou-se sobretudo no Programa Indicativo de Cooperação (PIC) entre o Luxemburgo e Cabo Verde, que se prolonga até 2015, disse Jorge Carlos Fonseca à edição portuguesa do Wort.lu, afirmando que confirmou "a ideia de que Juncker é um grande amigo de Cabo Verde".

“Pareceu-me uma pessoa que conhecia muito bem Cabo Verde, que conhecia em pormenor os programas de cooperação do Luxemburgo, e sobretudo reconfirmei a ideia de que ele é um grande amigo de Cabo Verde. Garantiu-nos que o Luxemburgo irá continuar a apoiar Cabo Verde, seja no apoio na ajuda orçamental ou em projectos como energias renováveis, e que está determinado em fazer da cooperação entre o Luxemburgo e Cabo Verde, como ele disse, uma ‘grande história de amor’”, disse o Presidente da República de Cabo Verde a este jornal.


Jorge Carlos Fonseca e Jean-Claude Juncker deram "aquele abraço" 
As relações de cooperação entre o Luxemburgo e Cabo Verde iniciaram-se no final dos anos 80, tendo os dois países assinado o primeiro Programa Indicativo de Cooperação (PIC) em 2002, durante uma visita de Jean-Claude Juncker ao arquipélago. Desde esse primeiro acordo, que representou um investimento de 33,5 milhões de euros, o montante das ajudas do Grão-Ducado a Cabo Verde não parou de aumentar: o PIC II envolveu 45 milhões de euros, com o PIC actualmente em vigor, que se prolonga até 2015, a rondar os 60 milhões de euros.

Ao final da tarde, durante um encontro com a comunidade cabo-verdiana no Luxemburgo, Jorge Carlos Fonseca disse que os emigrantes "são os melhores embaixadores de Cabo Verde", e que a boa imagem da diáspora contribui para as "excelentes relações" que o país mantém com o Luxemburgo.  

"Comunidade cabo-verdiana é muito respeitada"

O Presidente da República de Cabo Verde tinha à sua espera uma centena de imigrantes cabo-verdianos no Grão-Ducado, incluindo dirigentes associativos, mas também imigrantes que quiseram conhecê-lo. Caso das irmãs Stéphanie e Arlene Delgado, que nasceram no Luxemburgo, filhas de imigrantes de Santo Antão.

O Comité Spencer ofereceu uma T-shirt com o nome da
associação ao PR. A associação de jovens cabo-verdianos no
Luxemburgo acorreu em peso ao encontro
"Gosto de Cabo Verde e do Luxemburgo, e é bonito ver que os dois países trabalham juntos", disse Stéphanie Delgado, de 21 anos, ao Wort.lu/pt.
No Luxemburgo vivem cerca de nove mil imigrantes de origem cabo-verdiana, segundo a Embaixada de Cabo Verde no Grão-Ducado. Quatro mil têm nacionalidade portuguesa.

"É uma comunidade muito respeitada, e não é por acaso que existe tão boa cooperação entre os dois países", garante Cristina Gonçalves, portuguesa de origem cabo-verdiana a viver há 17 anos no Luxemburgo. A popular animadora da Rádio Latina nasceu em Portugal e nunca esteve em Cabo Verde, mas diz que "mantém as raízes", e fez questão de estar no encontro com Jorge Carlos Fonseca, que se prolongou durante várias horas.

"É importante que o Presidente da República venha ao encontro da comunidade cabo-verdiana no Luxemburgo: é uma mensagem de que não foram esquecidos", disse, frisando que a visita "reforça também o bom entendimento entre o Luxemburgo e Cabo Verde".

A dificuldade de integração dos alunos cabo-verdianos no sistema escolar luxemburguês foi uma das questões que os emigrantes levantaram no encontro.

A acompanhar a visita estiveram a encarregada de Negócios no
Luxemburgo, Clara Delgado, o secretário de Estado dos Negócios
Estrangeiros, José Luís Rocha, a embaixadora de Cabo Verde em
Bruxelas e o deputado do MpD, Jorge Santos
“A integração dos jovens na escola ainda é difícil, e é mais difícil ainda quando chegam depois dos 11 anos, por causa das línguas. Muitos não têm a possibilidade de estudar e são obrigados a ir para a Bélgica para fugir ao Alemão”, explicou Carisa Delgado Dias, emigrante no Luxemburgo e autora de uma tese de mestrado sobre a integração dos recém-chegados cabo-verdianos no sistema escolar luxemburguês.

O Presidente de Cabo Verde começou na sexta-feira uma visita ao Luxemburgo, Bélgica, Holanda e Itália, visando reforçar as relações com a União Europeia (UE), tendo prevista uma reunião com Durão Barroso e contactos com a comunidade cabo-verdiana nesses países.

Durante a visita, Jorge Carlos Fonseca faz-se acompanhar pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, José Luís Rocha, pelos embaixadores de Cabo Verde nos países a visitar, e pelo deputado do Movimento para a Democracia (MpD, oposição), Jorge Santos.

Fonte: CONTACTO/PTA

27/09/2013

Projecto do governo cabo-verdiano apoia regresso definitivo a Cabo Verde

Viviane van Hueck, da Organização Mundial das Migracoes,
Nadir Delgado, coordenadora da CAMPO, e Clara Delgado,
Encarregada de Negócios de Cabo Verde no Luxemburgo Foto: Aleida Vieira
A comunidade cabo-verdiana assistiu no domingo, no Centre Sociétaire, na cidade de Luxemburgo, à apresentação do projecto "Reforço das capacidades de Cabo Verde na gestão das Migrações". Este projecto tem origem numa parceria entre a União Europeia (UE) e Cabo Verde e tem como objectivo o apoio à reintegração económica dos emigrantes cabo-verdianos que desejem regressar a Cabo Verde e aí criar uma empresa ou integrar-se no mercado de trabalho daquele país.

O projecto foi apresentado por Clara Delgado, encarregada de Negócios da Embaixada de Cabo Verde no Luxemburgo, Viviane Van Hoeck, da Organização Mundial das Migrações (OIM), e Nadir Delgado, coordenadora do Centro de Apoio ao Migrante no País de Origem (CAMPO). Muitos foram os cabo-verdianos que compareceram a esta sessão de esclarecimento.

No âmbito da parceria de mobilidade entre Cabo Verde e a UE, o projecto "Reforço das capacidades de Cabo Verde na gestão das Migrações" prevê um apoio económico de cerca de 4.000 euros para os cabo-verdianos emigrantes nos países como Portugal, Holanda, França ou Luxemburgo que queiram regressar ao seu país de origem. Apenas os cabo-verdianos residentes num destes quatro países e que nunca tenham sido alvos de medidas de afastamento de um dos estados membros da EU podem beneficiar deste projecto.

O apoio à criação de uma empresa é feito em quatro fases. Apoio técnico para a criação de uma empresa, ou seja, após a apresentação do seu projecto à OIM ou directamente ao CAMPO, o emigrante irá ser aconselhado por um consultor especializado que analisará o projecto e aconselhará quanto à viabilidade do projecto.

Após a certificação da viabilidade do projecto, o emigrante recebe uma ajuda financeira de cerca de 4.000 mil euros e vai, também, ser acompanhado no lançamento e implementação do seu negócio. Uma formação inerente à sua actividade é também garantida.

Para quem queira regressar ao arquipélago e integrar o mercado de trabalho, a coordenadora do CAMPO informou que "é possível disponibilizar online o CV através da ferramenta PQuE, que irá partilhar o currículo pelas diferentes instituições do país de acordo com a formação e experiência da pessoa", garantiu Nadir Delgado, sublinhando que desta forma a comunicação entre as instituições será garantida.

Nadir Delgado informou ainda que 10 % das pessoas que apresentaram os seus projectos já foram seleccionadas.

O projecto "Reforço das capacidades de Cabo Verde na gestão das Migrações" tem uma duração de 36 meses e o empresário é acompanhado durante o primeiro ano da empresa. Para apresentar um projecto ou simplesmente pedir informações, deve ser enviado um email para campo@campo.com.cv ou ainda consultar a página em linha da CAMPO (www.campo.com.cv).

Fonte: CONTACTO/AV

09/09/2013

Jorge Carlos Fonseca visita Luxemburgo de 26 a 28 de Setembro

O Presidente da República de Cabo Verde, José Carlos Fonseca, vai estar no Luxemburgo entre os dias 26 e 28 de Setembro, com o objectivo principal de visitar a comunidade cabo-verdiana residente no Grão-Ducado.

No dia 27, sexta-feira, a Embaixada de Cabo Verde no Luxemburgo convida a comunidade para um encontro/convívio com o Presidente da República a partir das 17h30, no hotel Parc Belle-Vue (5, Av. Marie-Therese, cidade do Luxemburgo).

02/09/2013

Juventude em Marcha a 14 de Setembro no Luxemburgo

Juventude em Marcha, o grupo teatral mais antigo de Cabo Verde, vai estar no Luxemburgo no dia 14 de Setembro para apresentar a peça "Cabo Verde Terra Sabe" (Cabo Verde terra agradável). O espectáculo vai ter lugar às 19h30, no Kinneksbond, em Mamer.

A encenação conta a história de um casal que chega a uma agência de viagem à procura de um destino de paz e tranquilidade. Na viagem ao estrangeiro, o casal vive momentos inesquecíveis e a conhecida "morabeza" cabo-verdiana.

Fundado a 25 de Março de 1984, o brilhante percurso do grupo Juventude em Marcha conta já com três dezenas de obras que visam a promoção dos valores socioculturais cabo-verdianos e cinco produções audiovisuais: Problemas de Família, Rabo da Bruxa, Dilema, o Preço de um Contrabando e Órfãos do Penedo.

O grupo teatral cabo-verdiano actuou já em Setembro de 2011 no Centro Cultural Tramsschapp, em Limpertsberg, na cidade do Luxemburgo e, no mesmo mês do ano passado, em Florange (França).
O preço da entrada, no local, custa 30 euros, mas os bilhetes podem ser adquiridos em pre-venda, a 25 euros, na Épicerie Créole de Bonnevoie e de Ettelbrück ou através da associação Comité Spencer, que organiza o evento.

Parte dos fundos revertem a favor dos projectos do Comité Spencer para a ajuda ao desenvolvimento em Cabo Verde.

Mais informações na internet (www.comitespencer.lu)

02/08/2013

Programa de intercâmbio em Cabo Verde arranca sem candidatos do Luxemburgo

Hoje chegaram os primeiros jovens à Praia, na ilha de Santiago
A coordenadora do programa "Cabo Verde na Corason", um intercâmbio gratuito para jovens na diáspora, lamentou hoje a ausência de candidaturas de jovens cabo-verdianos no Luxemburgo.

Os primeiros jovens vindos de Portugal, França e São Tomé chegaram hoje ao arquipélago e "estão muito entusiasmados", garante Ana Barros.

 Dez jovens de origem cabo-verdiana vindos de Portugal, França, São Tomé e Príncipe, Estados Unidos e Senegal vão passar uma semana em Cabo Verde, num programa que visa o regresso ao país de jovens de origem cabo-verdiana na diáspora. De fora ficaram cinco países que não se candidataram: além do Luxemburgo, também não houve candidaturas de Angola, Guiné-Bissau, Holanda e Itália.

"Não tivemos uma única candidatura do Luxemburgo, nem de cinco dos outros dez países que faziam parte do programa, e tivemos de seleccionar mais pessoas de cada país", explicou ao Wort.lu/pt Ana Barros, coordenadora do programa de intercâmbio juvenil do Ministério das Comunidades de Cabo Verde, que arrancou hoje na Praia.

"Queríamos que todos os países identificados no programa participassem, porque a ideia é reforçar o intercâmbio entre jovens cabo-verdianos na diáspora, mas infelizmente só cinco países participaram nesta primeira edição", explica a coordenadora do programa, que deixa um apelo aos jovens que vivem no Luxemburgo.

"Esperamos que nas próximas edições do programa os jovens do Luxemburgo participem e que venham conhecer Cabo Verde. Os jovens que chegaram hoje estão muito entusiasmados por estarem aqui", disse Ana Barros a este jornal.

Três jovens de Portugal já chegaram a Cabo Verde

Nesta primeira edição do programa "Cabo Verde na Corason" participam três jovens a viver em Portugal, dois provenientes de São Tomé e Príncipe,  dois a viver em França, um nos Estados Unidos e um do Senegal.

Entre os candidatos seleccionados, todos com idades entre os 19 e os 25 anos,  oito nunca estiveram em Cabo Verde, enquanto um, de Portugal, emigrou recém-nascido e nunca regressou, segundo a lista  publicada no portal do Ministério das Comunidades. Há ainda um jovem seleccionado, também de Portugal,  que regressa a Cabo Verde pela primeira vez desde 2001.  

Criado pelo Ministério das Comunidades de Cabo Verde, o projecto "Cabo Verde na Corason" permite aos jovens a participação numa colónia de férias na ilha de Santiago, durante uma semana. O programa é dirigido a jovens descendentes de cabo-verdianos com idade entre os 18 e os 25 anos e que residam no Luxemburgo, Portugal, Angola, Guiné-Bissau, Senegal, São Tomé e Príncipe, França, Holanda, Itália ou EUA.

Os candidatos não devem ter regressado a Cabo Verde há pelo menos 10 anos, sendo a preferência dada aos que nunca visitaram o país.

Por cada país é seleccionado um jovem, pagando o Ministério das Comunidades de Cabo Verde todas as despesas (deslocação, alojamento e alimentação) durante uma semana de actividades culturais e sociais com os jovens residentes.

31/07/2013

Já conhece "Djar Fogo Coffee Spirit", o novo single de Cassandra Lobo?

video

Ficha técnica:
Gravação: "on the road studio", Joaquim Rodrigues.
Mixagem e masterização: Mark Park Studio, Marc Cornet
Cassandra Lobo - voz
Bebe Serra - bateria
Philippe Libois - Órgão Hammond (studio Climax)
Ron Giebels - guitarra
Joaquim Rodrigues - guitarra rítmica, side, baixo e percussão
Música e letra: Joaquim Rodrigues
 
Vídeo: Félix Andrade
Grafismo: Félix Andrade

23/07/2013

Cinzas do “Rei da Morna” chegaram à ilha cabo-verdiana de São Vicente

As cinzas do cantor cabo-verdiano Bana, falecido a 12 deste mês em Lisboa, chegaram hoje ao Mindelo, na ilha cabo-verdiana de São Vicente, terra natal de Adriano Gonçalves, onde será prestada, na quinta-feira, uma cerimónia fúnebre com honras de Estado.


 
Segundo a noticia da edição "online" do jornal cabo-verdiano "A Semana", a cerimónia de recepção das cinzas decorreu no Centro Cultural do Mindelo, onde vão permanecer até a manhã de quinta-feira, para que a população de São Vicente possa prestar um último adeus ao "Rei da Morna".

Segundo o jornal, a Câmara Municipal de São Vicente está a ultimar os preparativos, juntamente com os ministérios da Cultura e das Comunidades de Cabo Verde, para realizar uma cerimónia fúnebre oficial, que acontecerá no Palácio do Povo, que terá honras de Estado. As cinzas serão depositadas, depois, no cemitério de São Vicente.

Aldemiro Almeida, filho do cantor, confirmou que o processo de cremação e de deposição das cinzas "num pedacinho da terra natal" está em curso, seguindo o desejo do cantor que, antes de falecer, deu conta de isso mesmo ao presidente de Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves.

"Quero agradecer a manifestação espontânea feita aqui no dia do seu funeral. Teve muito significado para os familiares lá em Portugal. Um obrigado simples por aquilo que o povo de São Vicente lhe deu ao longo da sua carreira", disse Aldemiro Almeida ao "A Semana".

A recepção das cinzas do cantor contou com a presença dos filhos do cantor e das entidades municipais de São Vicente.

Nascido a 11 de Março de 1932, no Mindelo, Bana morreu aos 81 anos, no Hospital de Loures, na sequência de vários problemas de saúde. O corpo foi cremado a 15 deste mês no Cemitério do Alto de São João.

Bana, cujo verdadeiro nome é Adriano Gonçalves, gravou mais de meia centena de discos ao longo da sua carreira, iniciada em 1942, com apenas dez anos, nas ruas e cafés da cidade que o viu nascer.

Fonte: Wort.lu/pt